.

Grêmio espera comprar a operação Arena nos próximos três meses

O presidente do Grêmio Romildo Bolzan Júnior afirmou que a compra definitiva da operação da Arena pelo Tricolor deve acontecer nos próximos três meses, ou os prazos ficarão indefinidos. Ele participou nesta segunda-feira, 18, na reunião-almoço MenuPOA, promovida na Associação Comercial de Porto Alegre.

Segundo ele, o Grêmio atua como meio em todo o processo. “Vamos na Prefeitura, Tribunal de Contas do Estado, Ministério Público para tentar agilizar o processo. Acho que o clube tem que comprar agora a Arena e não esperar por um leilão da construtora OAS, que não credencia o clube perante o mercado. Já antecipar nossa capacidade de explorar o estádio vai nos dar mais viabilidade financeira e fortalecer o Grêmio.”

Hoje o Grêmio gasta mensalmente R$ 1,7 milhão para acomodar seus sócios na Arena. Após a compra do estádio, o Grêmio pretende vender 100% dos espaços para os associados. “Em todos os jogos, o estádio estará completamente lotado pelos seus sócios. Nossa expectativa é geral R$ 12 milhões por mês”, acrescentou.     

Bolzan reconhece que o processo de compra da Arena não é simples. E citou o estádio Olímpico, que ainda não foi liberado e passou a ser um problema para Porto Alegre e, principalmente, para o bairro Azenha, pela sua deterioração. “Queremos resolver essa questão o mais rápido possível.  Comprar a operação a Arena significa dinamizar as operações do clube, transformar o estádio em elemento proativo na busca de sua emancipação financeira.”

 Os acordos a com a OAS foram todos rompidos, lembrou Bolzan. “Nada foi cumprido pela crise da empresa, que entrou em recuperação judicial na esteira da Operação Lava-Jato. Isso gerou uma série de desconfianças.”

 As obras no entorno da Arena em um novo acordo serão em menor número. Atualmente, o TCE está avaliando os estudos para o acordo entre Prefeitura, Ministério Público e a empresa Karagounis Participações para realização de obras compensatórias no entorno da Arena do Grêmio.

Em audiência realizada no ano passado, na 4ª Vara da Fazenda Pública, Ministério Público, Prefeitura e Karagounis concordaram em realizar o acordo. A Karagounis, que foi a responsável pela construção e comercialização das torres de apartamentos ao lado da Arena, se dispôs a fazer as melhorias para destravar as licenças municipais pendentes.

O conjunto de obras prioritárias, definidas em consenso, compreenderia a duplicação das avenidas A.J. Renner e Padre Leopoldo Brentano, a reformulação de trecho da Rua José Pedro Boéssio, assim como a construção de uma nova sede para o posto da 2ª Companhia do 11º Batalhão da Brigada Militar e ainda serviços de desassoreamento de parte da rede de macrodrenagem do município.