.

Projeto Cais Mauá em debate na reunião de diretoria

O superintendente Eduardo Luzardo da Silva e o presidente do Conselho de Administração, Telmo Schoeler, do consórcio Cais Mauá do Brasil detalharam o projeto Cais Mauá, nesta terça-feira, 8/10, durante a reunião de diretoria da Associação Comercial de Porto Alegre, coordenada pelo presidente Paulo Afonso Pereira. O novo comando executivo do Consórcio assumiu em outubro de 2018. 

O consórcio Cais Mauá tem como acionista majoritário o Fundo de Investimento em Participações (FIP Cais Mauá), com 88,2% do capital social, a brasileira Contern Construções (1,9%) e a holding espanhola GSS (9,9%). A  LAD Capital (Latin American Distressed) especialista em fundos estressados, é a gestora do fundo FIP.

O governador Eduardo Leite anunciou em 30 de maio passado o rompimento do contrato de concessão do Cais Mauá, em Porto Alegre. Em 20 de agosto, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) determinou liminarmente a suspensão da rescisão unilateral por parte do estado do Rio Grande do Sul e da Superintendência do Porto de Rio Grande do contrato de revitalização do Cais Mauá com a empresa Cais Mauá do Brasil. A decisão, do desembargador federal Ricardo Teixeira do Valle Pereira, determinou que os réus se abstenham de assinar qualquer contrato com terceiros relativo ao mesmo objeto.

Em nove de setembro, a Procuradoria-Geral do Estado do Rio Grande do Sul (PGE-RS) interpôs recurso de agravo interno, no Tribunal Regional Federal da 4º Região (TRF4), requerendo a suspensão imediata da liminar, proferida pelo desembargador Ricardo Teixeira do Valle. O TRF4 ainda não se manifestou.