Aos poucos, os setores empresariais estão retomando as atividades, entre eles, o do entretenimento. O ramo gera mais de 50 mil empregos diretos e indiretos anualmente e o faturamento do setor no Estado chega à casa dos R$ 20 bilhões, cerca de 5% do PIB do Rio Grande do Sul.

No mês de maio, o empresário Rodrigo Machado, sócio-diretor da Opinião Produtora e um dos líderes do Grupo Live Marketing RS – composto pelo Porto Alegre Convention & Visitors Bureau, Inventa Evento, Opinião Produtora, Capacitá, Grupo Austral e Duetto -percebeu que diversos segmentos empresariais estavam se organizando para uma possível volta às atividades, e que o mesmo não estava acontecendo com o ramo do entretenimento.  Foi nesse momento, em uma reunião com o Secretário de Governança e Gestão Estratégica do Governo Estadual, Cláudio Gastal, que o empresário descobriu que o segmento de entretenimento fazia parte do setor de serviços, ou seja, festa de casamento, aniversário de 15 anos, formatura, peça teatral, congressos, seminário e demais serviços. “O setor é muito diverso e há vários comportamentos diferentes, exigem protocolos diferentes e com características diferentes”, explicou Rodrigo Machado.  A partir dessa reunião, ficou definido com o secretário que cada área teria protocolos específicos.

Mediante a decisão tomada em reunião, foi lançado nas redes socias o manifesto “E agora, José?” com o objetivo de reunir o maior número de pessoas de todos os setores de serviços. Em pouco mais de 48 horas, havia mais de 340 empresas que assinaram e ajudaram a formular um documento com as sugestões de protocolos para cada divisão do entretenimento, o que foi entregue ao Governo do Estado.

O trabalho de outras frentes em prol da atividade resultou na união de esforços para que o setor retomasse o mais breve possível e com toda a segurança. Esse foi o motivador de aproximação com o Porto Alegre Convention & Visitors Bureau quando a entidade procurou o Secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rodrigo Lorenzoni, para propor a realização de um evento teste. Naquele momento, o secretário sugeriu a parceria entre as duas frentes de trabalho para alinhar as necessidades do setor.

Foram quatro eventos no Estado, um deles, no município de Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha, com alguns atos para cada tipo de evento, como, por exemplo, uma formatura, uma festa de 15 anos e encerramento com um pocket show do Natal Luz de Gramado. A outra experiência foi a realização de um evento corporativo, no Foyer do Centro de Eventos FIERGS (Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul), com palestras, simulação de uma feira de negócios e todas as etapas foram acompanhadas pelo Governo do Estado e Prefeitura de Porto Alegre, através dos técnicos envolvidos no combate à pandemia.

O Auditório Araújo Vianna foi o palco para o primeiro evento teste. No dia 12 de setembro, foram os preparativos para a realização do show do músico Serginho Moah, no domingo (13). Todo o movimento de preparação e realização do evento foi acompanhado pelos técnicos do Governo do Estado. Entre as medidas aplicadas, a redução em 50% da capacidade (1.500 pessoas) e as demais medidas aprovadas e sugeridas pelo Grupo Live Marketing RS. Os convidados foram a imprensa, profissionais relacionados com o combate à pandemia dos Governos Estadual e Municipal e colaboradores do setor de eventos. “Foi um sucesso. Foi sensacional”, descreve Rodrigo Machado.

Na sexta-feira (09/10), parte dos esforços para a retomada foram colhidos. O Governo do Estado, conforme prometido em reunião presencial há duas semanas, incluiu os shows e eventos culturais nos protocolos para a retomada das atividades, mediante a decisão final da prefeitura. “O Araújo Vianna já pode começar a receber shows com autorização do Governo do Estado. Agora vamos buscar autorização da prefeitura de Porto Alegre”, afirmou Rodrigo.

O Futuro

O sócio-diretor da Opinião Produtora e um dos líderes do Grupo Live Marketing RS acredita que a retomada vai ser rápida por que as pessoas estão com uma necessidade de entretenimento, principalmente os mais jovens.

Um dos argumentos utilizados com o Governador para a retomada foi a realização dos eventos clandestinos, que são uma realidade, segundo Rodrigo. “Quem está capacitado para trabalhar está fechado e os locais que não estão preparados para trabalhar estão abertos”, criticou. Ainda de acordo com o empresário, as festas estão sendo feitas em locais sem as mínimas condições e por pessoas que não têm a menor responsabilidade para realizar um evento.

“O Araújo Vianna é um local que está preparado para receber eventos, com distanciamento controlado e com ventilação cruzada, pois quando as portas laterais do Araújo são abertas, há uma forte corrente de ar, o que é fundamental para evitar a contaminação”, explicou diretor. Ele finalizou afirmando que as pessoas estão indo aos eventos clandestinos pela necessidade de “arejar a cabeça” neste momento tão difícil. “As pessoas não estão deixando de ir. As pessoas precisam aglomerar”.

Confira na íntegra o manifesto do Grupo Live Marketing RS sobre a espera de retorno da prefeitura de Porto Alegre.

Publicado em: 15 de outubro de 2020

Compartilhar:

Recomendados:

15 de outubro de 2020

ACPA participa da conquista pela ampliação no funcionamento dos shoppings centers

A Associação Comercial de Porto Alegre (ACPA) participou da conquista pela [...]


Ler mais
15 de outubro de 2020

ACPA apoia campanha para estimular a socialização segura e consciente

A Associação Comercial de Porto Alegre (ACPA), o Porto Alegre e Região [...]


Ler mais
15 de outubro de 2020

Inovação

Vive-se um momento no qual, sob diferentes perspectivas, todos estão sendo [...]


Ler mais