A Associação Comercial de Porto Alegre (ACPA) finalizou o seu calendário de eventos do ano de 2021 com a realização de dois eventos: o tradicional MenuPOA, no formato presencial, e o P@po Online, este, através do canal da entidade no YouTube.

O MenuPOA abordou o tema: “Educação: Base para crescer. Como fazer no pós-pandemia?”, que teve a participação das secretárias de Educação do Município e do Estado, Janaína Audino e Raquel Teixeira, respectivamente, e do vice-pró-reitor de Graduação da UFRGS, Leandro Raizer. O presidente da ACPA, Paulo Afonso Pereira, foi o mediador da conversa.

A secretária municipal, Janaina Audino elencou algumas mudanças que já estão sendo promovidas pela (Smed), como a nova proposta pedagógica e a implementação de quatro escolas em tempo integral no próximo ano. Também destacou o fortalecimento da gestão escolar, com o recente lançamento do painel de gestão, e a utilização dos indicadores educacionais como instrumento de acompanhamento da aprendizagem. “Muito da transformação que desejamos começa pela parte pedagógica, mas passa necessariamente pela gestão escolar”, disse.

Ao projetar o próximo ano e as estratégias futuras, Janaina falou da importância de implementar as turmas de correção do fluxo escolar e de priorizar a alfabetização na idade certa, assim como a discussão de um currículo emergencial para atender à defasagem de aprendizagem agravada pela pandemia, a partir da avaliação diagnóstica realizada ao longo de 2021. Ela ainda reforçou a necessidade de transparência na aplicação dos recursos públicos destinados à educação e finalizou defendendo a construção de uma matriz de habilidades socioemocionais. “É fundamental que, agora, depois de dois anos de pandemia, a escola possa preparar os nossos alunos para a vida, além do desenvolvimento cognitivo”, completou.

A secretária de educação do Estado, Raquel Teixeira, iniciou sua participação no MenuPOA afirmando que nada é mais importante no século 21 do que a Educação. “Estamos na era do conhecimento e da inovação. Isso não se constrói do nada. Começa lá na Educação Infantil e se desenvolve por etapas. Temos que convidar toda a sociedade para participar e se engajar nessa tarefa para garantir o futuro dos nossos jovens”, destaca a secretária Raquel.

Ainda, conforme a secretária do Estado, o Novo Ensino Médio e a nova BNCC (Base Nacional Comum Curricular) trazem elementos que unem o conhecimento com a educação profissional e técnica. “O aluno do Ensino Médio vai ter a oportunidade de ampliar suas possibilidades profissionais e vai ser incentivado a desenvolver suas habilidades e competências para as áreas que almeja. Estas reformas na Educação Básica serão fundamentais”, reitera.

O vice-pró-reitor de Graduação da UFRGS, Leandro Raizer, apresentou a contribuição da universidade na formação de professores da educação básica, destacando iniciativas que são desenvolvidas em parceria com as redes de ensino, como o Programa Pibid e Residência Pedagógica (RP). “A Universidade conta com 26 cursos de licenciatura, os quais ofertam formação inicial e continuada para professores. Por meio da Coordenadoria das Licenciaturas (Coorlicen) são desenvolvidas ações articuladas junto às redes de ensino, viabilizando o desenvolvimento dos cursos, ações e programas como Pibid e RP”, explica ele.

Além dessas ações, a UFRGS realiza atividades de ensino, pesquisa e extensão junto às comunidades acadêmicas, como os Estágios de Docência dos cursos de licenciatura, que envolvem a cada semestre cerca de mil estagiários da universidade em atividades nas redes de ensino em Porto Alegre e outros municípios gaúchos. “Ainda, a UFRGS oferta formação continuada para professores das redes de ensino através dos seus programas de pós-graduação, incluindo os mestrados profissionais voltados para a formação de professores”, diz Leandro

O vice-pró-reitor abordou também os impactos da pandemia na educação superior, sendo o mais grave deles, na sua opinião, a evasão, além do não desenvolvimento de competências e habilidades essenciais para a formação dos estudantes considerando as dificuldades para realizar atividades práticas. “Na UFRGS, o Ensino Remoto Emergencial (ERE) manteve o vínculo dos estudantes, o que foi crucial para que a taxa de evasão se mantivesse reduzida durante o período de pandemia”, diz ele.

Durante o evento o presidente da ACPA, Paulo Afonso Pereira, enfatizou a importância de se debater o tema uma vez que, na sua visão, “a educação é a base do desenvolvimento para uma sociedade organizada, democrática e empreendedora”, destacou.

P@po Online – Especial Agraciados Prêmio ACPA Paulo Vellinho

Desde da realização do Prêmio ACPA Paulo Vellinho, ocorrido em junho desse ano, o P@po Online vem promovendo uma série de bate-papos com os agraciados da premiação. Ao todo, foram oito categorias, que enfatizaram o trabalho de empreendedores nos segmentos de: Marketing e Comunicação, Inovação e Tecnologia, Empreendedor, Empreendedorismo, Comércio, Serviços, Turismo, Política e Fora da Curva.

O encerramento da série especial ocorreu no último dia 16, de forma virtual, com a mediação da vice-presidente de comunicação da ACPA, Suzana Vellinho, e do diretor da Agência K3, Caco Keller. O convidado foi o superintendente de inovação e desenvolvimento da PUC e TECNOPUC, Jorge Luis Nicolas Audy, vencedor na categoria Inovação e Tecnologia.

O superintendente iniciou contando o começo da sua vida profissional quando iniciou como professor na PUC um ano após estar formado e onde permanece há 38 anos. “Dentro da universidade, eu pude desempenhar diversos papeis em diversos setores até chegar a Superintendente de Inovação e Desenvolvimento da universidade e do TECNOPUC”, relembrou.

O executivo revelou ainda que deixa a vida levá-lo, ou seja, não luta contra ela. “Temos que deixar a vida fluir. Temos que nos preocupar com os valores familiares, religiosos e comportamentais. A partir de uma base sólida estamos preparados para viver em qualquer situação”, considerou.

De acordo com o gestor, os ciclos de mudanças na inovação estão cada vez menores, em média com 10 anos, mas o que está em aceleração é a velocidade com que as mudanças ocorrem. Ainda de acordo com o especialista, é preciso estar aberto à aprendizagem do novo.

Outro ponto abordado pelo convidado do Papo Online foi a diferença entre Inovação e Tecnologia. Ele enfatizou que é possível inovar sem tecnologia já que são elementos dissociados. “Inovação pode acontecer em todas as áreas: comunidade, indústria, comércio, por que, para inovar, é preciso criatividade, coragem para assumir risco e conhecimento”, apontou.

E finalizou o encontro com uma reflexão: “A sociedade demanda um tipo de formação que o ensino não entrega. Estamos formando alunos para um mundo que não existe mais”.

Publicado em: 23 de dezembro de 2021

Compartilhar:

Recomendados:

2 de maio de 2022

ACPA premia vencedores na 2° edição do Prêmio Paulo Vellinho. Cerimônia aconteceu de forma híbrida na noite da terça-feira (19/04).

A Associação Comercial de Porto Alegre promoveu a cerimônia de premiação da [...]


Ler mais
2 de maio de 2022

Suzana Vellinho é empossada presidente da ACPA

A empresária Suzana Vellinho tomou posse nesta quinta-feira (28/04) como [...]


Ler mais
28 de março de 2022

PIRAHY Alimentos apresenta sua história e projetos sociais no MENUPOA

A Associação Comercial de Porto Alegre (ACPA) realizou mais uma edição do [...]


Ler mais