.

Bom Dia Associado aborda os modelos de negócios em plataformas de venda

O próximo Bom Dia Associado, que será realizado no dia 2 de julho, a partir das 11h, através do perfil do Facebook da Associação Comercial de Porto Alegre (ACPA), vai debater sobre “Negócios de plataforma para o momento atual”. O encontro contará com a participação dos sócios da PratikaPro Estratégia Comercial, Fernando Teixeira e Guilherme Wiering.

Com mediação do diretor da ACPA, Fernando Villarinho, o bate-papo terá como tema central os modelos de negócios em plataformas de vendas, que segundo o sócio e Head de Inovação Fernando Teixeira, é a principal estratégia para as empresas conseguirem se readaptar ao momento. 

Conforme explica Teixeira, as plataformas são negócios que conectam produtores e consumidores, e os Market Places são um exemplo desses negócios. O especialista faz uma breve análise do atual cenário: “Há cada vez mais lojas online espalhadas, consumidores aderindo ao e-commerce e muito pouca gente querendo orquestrar, ajudar as pessoas a achar o produto certo ou auxiliar o pequeno negócio a achar seus clientes”.

Durante a live serão apresentados cases das empresas atendidas pela PratikaPro Estratégia Comercial onde, conforme Fernando Teixeira, são desmitificados alguns aspectos que envolvem a criação de uma plataforma, como a ideia de que é necessário uma supertecnologia. Ele afirma que, com procedimento básico ou até sem nenhuma tecnologia, é possível montar uma plataforma. “Vamos dar um passo a passo por onde começar e vamos apresentar um pouco da metodologia que usamos no nosso trabalho”, promete o Head.

O especialista adiantou algumas dessas informações que serão levadas ao encontro virtual. A primeira orientação de Teixeira para iniciar uma plataforma de venda é desenhar as inspirações desejadas. Neste caso, há metodologia para design estratégico que auxilia no desenvolvimento. Em resumo, o primeiro passo é a arquitetura e design estratégico da plataforma.

As mudanças estratégicas em virtude da pandemia estão exigindo agilidade para as empresas reagirem ao que foi planejado, alerta Teixeira. Ele questiona: quem poderia imaginar que, ao fazer o planejamento estratégico do ano, em março haveria uma pandemia que mudaria totalmente o cenário?

De maneira geral, para o e-commerce a cadeia de valor tem que ser cada vez mais curta, ou seja, a tendência é que as pessoas se conectem cada vez mais, mas não necessariamente de maneira globalizada. Para o especialista há o desafio de encurtar as cadeias de valor e aumentar a conectividade. Entre março e maio, surgiram aproximadamente 110 mil lojas virtuais no Brasil. “A demanda cresceu nesse período em torno de 60%. Muita gente querendo vender e comprar”, destaca Fernando Teixeira.

A tendência é que as pessoas comprem localmente, construam a sua rede de relacionamento no seu bairro e no seu entorno. “Não sabemos se vai se manter neste padrão. Acredito, sim, que não será como antes da pandemia. Tudo se encaminha para que não volte aos padrões anteriores”, finaliza o empresário.

O evento pode ser acompanhado pelo perfil da ACPA no Facebook é @AssociacaoComercialDePOA