.

Medidas anunciadas pelo prefeito de Porto Alegre vão exigir união dos setores

Em coletiva de imprensa na manhã desta quarta-feira (18/03), o prefeito Nelson Marchezan Júnior, junto de sua equipe, fez um balanço das decisões tomadas até o momento pela prefeitura em razão da pandemia de Coronavírus. Em suas colocações, ele enfatizou que as restrições irão aumentar.
Entre as últimas medidas anunciadas pela prefeitura de Porto Alegre relacionadas ao comércio está o decreto que determina o fechamento de lojas em shoppings e centros comerciais. Terão funcionamento autorizado apenas supermercados, clínicas de saúde, restaurantes, área de alimentação, farmácias e os espaços de acesso a esses locais. A determinação do decreto vale a partir dessa quinta-feira (19/03) e as medidas serão adotadas, inicialmente, por 30 dias.
Para o presidente da ACPA, Paulo Afonso Pereira, o momento é de
compreensão em todas as esferas. “Entendemos perfeitamente a posição e
a gravidade das medidas tomadas, não só no Estado, como no Brasil e no
mundo. Temos exemplos de países que não seguiram as orientações iniciais e houve a perda de muitas vidas”, comenta Pereira. Com relação ao fechamento das lojas, o presidente da Associação sugere uma negociação coletiva ou individual com os sindicatos para que haja uma negociação referente às questões de remuneração salarial, redução de impostos e alugueis. “Tem que haver uma mobilização por parte de cada um através dos sindicatos que congreguem essas empresas para fazer esse movimento”, sugere Paulo Afonso.
A ACPA está ao lado dos empresários buscando fazer todos os esforços para
que se minimizem os impactos econômicos e sociais em decorrência do
Coronavírus. “A nossa maior preocupação, além da saúde, é com a saúde
financeira e econômica das empresas, bem como a manutenção dos seus
negócios”, finaliza o presidente.