A pandemia tem feito empresários e seus negócios se reinventarem. Permanecer no mesmo segmento e procurar uma alternativa foi a opção feita pela empresária Ana Cláudia Bitencourt, professora e proprietária da YES Agência.

Empresária há 20 anos no ramo de eventos, ela viu seu empreendimento fechar sem aviso prévio. No dia 18 de março, foi publicado o primeiro decreto municipal com a suspensão das atividades em razão da pandemia do coronavírus, Ana Cláudia viu uma agenda lotada de eventos para o ano começar a ser totalmente cancelada. “Fiquei com as funcionárias em março, abril e maio, e a partir de junho, já não tinha nenhum evento para realizar”, lembra.

Ana Cláudia revela que pensou muito no direcionamento que daria para a vida profissional, mas não se imaginava realizando outra atividade. Foi, então, que surgiu a organização do SerMulher – 1° Seminário Coletivo de Mulheres do Brasil, evento 100% online, que acontece entre 12 a 16 de agosto.

Concomitantemente à realização do SerMulher, Ana Cláudia aproveitou a sua experiência como professora para abrir a YES Escola de Eventos Online, que tem no currículo cursos da área de comunicação, mídias sociais, divulgação, planejamento, eventos sustentáveis, entre outros módulos, todos voltados para sua área.

Além da criação da escola, está nos planos da empresária a comercialização de e-books dos cursos que serão ministrados online. Na plataforma curricular, constam informações de três cursos. Os demais serão disponibilizados em breve.

Ainda sem informações concretas para mensurar os resultados, a empreendedora pretende continuar a investir fortemente nos cursos e eventos, mesmo após a pandemia. Segundo Ana Cláudia, o online veio para ficar. “Tenho conversado muito com amigos e profissionais da área que atuam no exterior, onde as atividades já voltaram com mais força. Os eventos online continuam em alta. As pessoas perceberam que envolve menos custo”, constata.

A executiva aponta ainda para outra tendência: eventos voltados para o crescimento pessoal, inteligência emocional, sustentabilidade e para o fortalecimento interior. A mudança de comportamento é outro aspecto destacado por ela. “Fomos os últimos a parar as atividades e seremos os últimos a retornarmos. Se os eventos voltarem antes do surgimento da vacina, serão pequenos e com pouquíssimas pessoas.”, projeta a empresária.

Mais do que uma pessoa prática, Ana Cláudia é otimista. Ela conta que já está se preparando e se organizando para retomada das atividades. “Serei uma das empresárias que correu na frente, aprendeu e voltou adaptada e competitiva”, finaliza.

Publicado em: 23 de julho de 2020

Compartilhar:

Recomendados:

6 de agosto de 2020

Paulo Afonso Pereira é reconduzido à presidência da ACPA

A Associação Comercial de Porto Alegre (ACPA) realizou, na última [...]


Ler mais
6 de agosto de 2020

ACPA lança projeto para abordar temas jurídicos

O grupo jurídico da Associação Comercial de Porto Alegre (ACPA) realizou a [...]


Ler mais
4 de agosto de 2020

Proposta das Entidades

PROPOSTA DAS ENTIDADES   Construção civil e indústrias Liberação das [...]


Ler mais